FAPE-DF e CODESE discutem pautas de interesse do agro para o próximo governo

Publicado em 05 de novembro de 2018

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Distrito Federal (FAPE-DF), Fernando Cezar Ribeiro, reuniu-se no último dia (30), com a Comissão Executiva do Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico do Distrito Federal (CODESE/DF) e com o governador eleito, Ibaneis Rocha, para discutir temas de interesse do setor agropecuário e entregar um Plano de Trabalho para o período do governo de transição.

A ideia é acompanhar e atuar nesse processo de forma pactuada com o governador eleito por meio de uma comissão estratégica e de um grupo de trabalho, de forma a viabilizar suas propostas com os compromissos assumidos pelo candidato quando da subscrição do documento “O DF que a gente quer”.

Dentre as ações prioritárias para o setor agropecuário do Distrito Federal, cinco constam no documento: Efetivar o processo de regularização fundiária e titulação direta de terras rurais do DF; – Revitalizar o Parque Agropecuário Granja do Torto e implantar o Instituto Granja do Torto; – Garantir licenciamento e regularização ambiental de forma simplificada, célere, e desburocratizada e revisão das taxas de licenciamento ambiental, equiparando-as aos estados vizinhos; Promover a equidade com outros estados na cobrança do ICMS (impostos e taxas) e Fortalecer o policiamento rural – Criar duas delegacias especializadas em crimes da área rural: Implantar na área rural do DF o Sistema de Monitoramento e Acionamento Policial Imediato – SMAPI.

De acordo com o presidente da Federação, a regularização fundiária e o renascimento da Granja do Torto, são reivindicados há muitos anos pelos produtores rurais da região.  “A falta de escritura das terras rurais trava o desenvolvimento do setor no DF, porque impossibilita o produtor de conseguir crédito de financiamento para investir mais no seu negócio. Já a modernização das instalações do parque de exposições, com a implantação de laboratórios e outras atividades tecnológicas são essenciais para fomentar um novo surto de desenvolvimento da pecuária brasiliense. “Estas ações garantirão maior participação dos produtores na melhoria de seus plantéis para participar de leilões, capacitação e formação de seus funcionários. tendo sempre como foco a maior produção e competitividade para atender o mercado local e regional”, pontuou.

 

Fonte: Ascom FAPE-DF com informações da CODESE/DF

Foto: CODESE