FAPE-DF recebe lideranças do Meio Ambinte e da Agricultura em visita ao PAD-DF

Publicado em 25 de fevereiro de 2019

A Federação da Agricultura e Pecuária do Distrito Federal promoveu no último dia (21), visita de campo à COOPA-DF, seguido de um almoço na pousada Villa Triacca (PAD-DF). O evento reuniu lideranças do setor agropecuário e do meio ambiente, dentre eles, o presidente do IBRAM, Edson Duarte, o secretário de Meio Ambiente, Sarney Filho, e o secretário de Agricultura, Dilson Almeida.

O encontro proporcionou um diálogo importante com as entidades presentes, que ouviram os anseios dos produtores rurais relacionados ao trabalho no campo. “Pela primeira vez, a Federação conseguiu trazer para dentro do cenário rural, o secretário de Meio Ambiente junto com o secretário de Agricultura, em começo de governo. Acredito que seja um grande avanço, na expectativa das mudanças necessárias para que possamos continuar na atividade, sendo um exemplo de produção rural para o Brasil”, declarou o presidente do Sistema FAPE/SENAR-DF, Joe Valle.

Iniciando o discurso, o secretário Sarney Filho frisou que não podemos mais dissociar a agricultura das questões do meio ambiente, do desenvolvimento e da sustentabilidade. “Uma coisa não existe sem a outra, agricultura sem meio ambiente não tem água, não têm plantas, não tem solo. Ao mesmo tempo, o homem sem a agricultura não vive e não come”. O secretário disse ainda que sua gestão será racional, e que os processos burocráticos irão acabar.  “Hoje nós temos a tranquilidade e a segurança para eliminar processos burocráticos no sentido de dar mais agilidade aos licenciamentos ambientais, facilitando o crédito bancário para os produtores rurais e a vida do agropecuarista brasiliense”.

O secretário de Agricultura do DF, Dilson Almeida, afirmou que é diretriz do novo governo trabalhar com as duas pastas juntas (agricultura e meio ambiente), para melhorar as condições de qualidade de vida e avançar nas questões que a sociedade necessita. “Estamos trabalhando juntamente ao secretário Sarney com o mesmo objetivo de revisar e modernizar as normas para simplificar os processos e destravar o setor produtivo para gerar mais emprego e renda”, concluiu.

Saiba mais:

A Federação protocolou no dia 31 de janeiro no Instituto Brasília Ambiental (IBRAM) um pedido de revisão dos valores das taxas de licenciamento ambiental, sugerindo novos parâmetros, tendo como referência os valores praticados nos estados vizinhos, principalmente Goiás, que concorre diretamente com os produtos processados no DF. A entidade pediu ainda maior agilidade na liberação das licenças, na análise dos processos e na fiscalização das propriedades quando estas são notificadas ou autuadas.

O avicultor José Marcos Menezes aguarda uma solução dos órgãos competentes para poder reativar sua granja de matrizes, localizada no Núcleo Rural Rio Preto (Planaltina-DF). “Hoje a taxa cobrada para a regularização ambiental da minha propriedade é de R$ 21 mil. A avicultura é uma atividade de baixo impacto ambiental e esse valor inviabiliza o produtor a manter-se no negócio”, justifica.

Fonte: Ascom FAPE/DF